A VIDA NA PALMA DA MÃO

Published in 3 de maio de 2022 by

            Costumo brincar que se a vida tivesse um controle remoto para as pessoas fazerem dela o que bem entendem, seria muito chato e monótono. Nesta idealização de que minimamente conseguimos ter controle das situações, deixamos de prestar atenção aos benefícios da espontaneidade: surpreender e ser surpreendido.

            Pense: de tudo que viveu até aqui, quantas coisas você controlou? Quantas coisas não controlou? Quantas coisas foram boas justamente por não ter tido controle algum?

            A incessante busca por ter certeza das coisas que acontecem e vão acontecer, como tentativa de sentir segurança é justamente o que alimenta a insegurança, e ainda, a ilusão de que um dia que sabe, a vida vai caber na palma da mão.

            Vou escrever algo que talvez você não goste de ler (se você for uma das pessoas que quer ter certeza): você não controla nada. A vida seria muito pequena e com possibilidades muito limitadas se coubesse na palma da mão. Que bom que ela é maior e que é propriamente a espontaneidade que traz respiro e múltiplas possiblidades de viver. Lembrando: viver é diferente de só existir.